Dai graças ao Senhor porque Ele é bom (Sl 131,1) « Monges da Trindade
menu close menu

Dai graças ao Senhor porque Ele é bom (Sl 131,1)

 

Existe uma grande questão no seguimento de Jesus que sempre inquieta: a alegria do martírio. Acho curioso olhar para os santos que foram martirizados, ler os relatos daqueles que deram a vida por Cristo, pois o que sempre me chama a atenção é a Alegria. Às vezes, diante de um pequeno sofrimento que vivo, me pego pensando em como eles conseguiram ficar alegres sofrendo. Isso parece meio contraditório para mim, pois somos de uma geração que aprendeu a rejeitar o sofrimento. Essas duas realidades, “alegria e sofrimento”, parecem não caber num mesmo momento da vida; é como aquela lei da física em que dois corpos não podem habitar o mesmo espaço.

Existe sempre o questionamento: é possível encontrar alegria mesmo quando o sofrimento bate a nossa porta?

Olhando para a cruz de Jesus, meus olhos se prendem numa realidade simples: um Deus que sofreu! Pela lógica humana parece inconcebível o Divino sofrer, mas foi isso que aconteceu com Jesus. Contemplando Jesus na cruz, percebo que ali está o grande mistério que, talvez, tenha feito os santos encontrarem alegria onde aparentemente só havia dor.

Tenho a sensação de que nossos olhos são treinados para o sofrimento. É como se fôssemos apegados em ver coisas tristes e ruins; é como se fôssemos habituados a ver uma vida esvaziada. Com esse olhar negro sobre a vida, quase sempre temos dificuldades de encontrar a felicidade, pois estamos acostumados a enxergar somente a dor. E como nenhuma vida é isenta de cruzes, com muita facilidade nossa vida acaba se tornando num grande fardo a ser suportado e o nosso coração fica repleto de ressentimento; às vezes, culpamos a vida; outras vezes, culpamos Deus, enquanto esperamos o dia em que algo “mágico” vai acontecer, para, então, sermos felizes, quando tudo estará terminado!

No entanto, ao olhar para a cruz de Jesus, nos damos conta de que ali está a resposta para uma vida feliz, para uma vida que verdadeiramente valha a pena ser vivida. Com muita facilidade, somos tentados a olhar para a cruz com um olhar pessimista de quem pensa: “Nossa, Jesus sofreu tanto.” Mas, ali, no caminho da dor de Jesus encontramos o segredo da alegria, uma alegria expressa na paz de quem, com submissão confiante, pôde dizer: “Pai em tuas mãos entrego meu espirito” (Lc 23,46). Fico pensando no quanto nossas vidas seriam mais leves se também soubéssemos nos entregar com essa mesma atitude, uma atitude que expressa, antes de tudo, uma confiança na certeza de que Deus é Pai e nos ama.

Quando caminhamos com Jesus ao longo do seu caminho para a cruz e nos deixamos levar por um olhar que vai além do sofrimento, podemos perceber a bondade Divina, que se manifestou em cada passo, em cada cena, em cada pessoa, em cada palavra. E somos capazes de perceber Jesus que consola as mulheres que O seguem, vemos o carinho de Verônica quando enxuga a face do Senhor, contemplamos a fidelidade de Maria, o amor de João, o comprometimento de Madalena.

Mais além, ao chegar ao momento da crucificação, podemos ver o perdão concedido ao bom ladrão, a intercessão de Jesus pelo povo, quando diz: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lc 23,34), vemos a conversão do soldado que feriu Jesus com a lança no momento em que o sangue do Senhor o toca, e podemos ir além em nossa imaginação e pensar nas muitas pessoas que ali estiveram com Ele… Muitas pessoas, talvez, tinham o coração endurecido; no entanto, outras se abriram e se converteram, como o soldado que, após a morte de Jesus, proclama: “Este homem era realmente Filho de Deus” (Mc 15,39).

Quando olhamos para tudo isso conseguimos compreender a expressão “sofrimento redentor”. Sim, o sofrimento de Jesus gerou vida em muitas pessoas, e somente um olhar que se abre para além do sofrimento consegue perceber uma Ressurreição que aconteceu durante a morte na cruz. A Morte e a Ressurreição se misturaram, dor e liberdade, morte e vida num único madeiro pregados.

Esta realidade de Jesus é a realidade da nossa vida!  Deus feito homem, pregado numa cruz, convida-nos a abrir os olhos e perceber a alegria presente em cada dia da nossa vida. Mesmo naqueles momentos de maior dor, ainda sim, há ali a presença de um Deus que nos ama e nos convida a perceber o Seu amor… Um amor que se manifesta no carinho das pessoas a nossa volta ou na voz de Deus na oração. Em outros momentos, no pôr do sol que nos encanta ou numa flor que nasceu perto da nossa janela de manhã e que nos faz sorrir. Talvez, naquele sorriso de conforto de uma pessoa que amamos, num presente que recebemos, num abraço que nos é dado, numa palavra de incentivo e compreensão que alguém nos dá… Deus fala com cada um de nós de maneira particular! Seu amor é único para cada um de nós e precisamos nos abrir para perceber Seu amor, que nos é sussurrado no segredo do coração todos os dias.

 Muitas vezes, estamos tão ocupados remoendo nossas dores e reclamando dos nossos sofrimentos, que não temos tempo para perceber as carícias de Deus ao longo do nosso dia e da nossa história.

Sabe aquele dia, que você achou que nunca conseguiria passar por ele? Sabe aquela dor que você achou que nunca poderia suportar? Sabe aquilo que você enfrenta de mais difícil na sua vida e que você sempre tem a sensação de que não vai conseguir? Deus está ali, amando e cuidando de você. O porquê das cruzes, talvez nós não chegaremos a descobrir nesta vida…

Jesus poderia ter morrido de outra forma, poderia ter nos salvado de outra maneira, mas Ele escolheu a morte de cruz. Por quê? Eu não sei, assim como não sei por que tenho que carregar determinadas cruzes, mas de uma verdade eu tenho certeza: Deus, que me ama, está comigo, assim como esteve com Jesus. Às vezes, a cruz não passa, mas eu vejo o carinho de Deus quando me ajuda a suportar meus sofrimentos e carregar minha cruz, como o Cireneu ajudou Jesus a carregar a d’Ele.

Hoje, ao olhar Cristo Crucificado, somos tentados a olhar apenas para uma história de dor e sofrimento, mas Jesus nos convida a ir além. Ele nos convida a abrir os nossos olhos e perceber os pequenos milagres que acontecem diariamente em nossas vidas. É hora de nos dispormos a ter um olhar que contemple as maravilhas de Cristo em nossas vidas!

Olhar para nossa história, para tudo que já vencemos no passado, é um bom caminho para reconhecermos Jesus no hoje, pois quando olhamos para todas as cruzes que achamos que jamais seríamos capazes de enfrentar, percebemos a mão de Deus que, de diversas formas, nos sustentou e nos garantiu a vitória. Perceber esse amor da fidelidade e da presença de Deus numa história que Ele trilhou com cada um de nós, nos abre a reconhecer com gratidão a presença desse mesmo Deus-amor no presente e, então, podemos louvar com coração agradecido pela nossa vida! Em meio aos desafios que nos são apresentados todos dias, somos capazes de reconhecer a alegria que já existe na nossa vida, e é neste momento que nos unimos a Maria para proclamar as maravilhas do Senhor em nossa história, em nossa vida, em nosso cotidiano:

“A minha alma glorifica o Senhor, meu espirito exulta de alegria em Deus, meu salvador… o Poderoso fez em mim maravilhas, e Santo é o Seu nome” (Lc 1,6;49).

17 de abril de 2018 | Artigos | Comentários desativados em Dai graças ao Senhor porque Ele é bom (Sl 131,1)
Tags:

Comments are closed.

Left Menu Icon
Monges da Trindade