3ª-feira da 14ª Semana Do Tempo Comum
All day - 9 de July de 2019

Reflexão do dia:

Bendita seja a Trindade!

Para sempre seja bendita!

No Evangelho de hoje, Jesus chega curando, se compadecendo da multidão, sensível as necessidades de cada pessoa que encontra pelo caminho. E os fariseus completamente insensíveis a bondade de Cristo, dizem que é pelo príncipe dos demônios que Ele cura. Eles não têm a sensibilidade de perceber o coração tão bondoso de Cristo, e o julgam por um caminho completamente oposto.

Jesus é aquele que se compadece, se compadece de todos, que vem para curar todas as enfermidades. Jesus não chega como um mágico que elimina o mal do mundo, que simplesmente faz desaparecer os sofrimentos, que resolve de uma vez por todas todos os problemas. Ele tem a sensibilidade de curar acima de tudo a alma. Ele vê a pessoa como um todo. Ele passa curando as principais enfermidades que cada pessoa possui. Jesus chega para curar. E Ele vem curar tudo aquilo que é enfermidade em nós!

Hoje Ele olha para cada um de nós e percebe quais enfermidades estão nos prejudicando. Muitas vezes enfermidades que nem nós mesmo vemos. As vezes o nosso coração está duro, às vezes a nossa boca está muda e não está dizendo as palavras que deveria dizer, às vezes a  nossa vida está muda, nós não estamos falando com a nossa vida, o amor de Deus, nós não estamos vivendo a semelhança de Cristo, a bondade e a alegria que Ele nos convida a viver. Enfim Jesus olha hoje para mim, para você e percebe qual enfermidade que cada um de nós tem. E ele se compadece!

Jesus tem um coração completamente compassivo e Ele se contorce, Ele quer arrancar de nós o que temos de melhor. Ele quer nos ver livres, Ele quer nos ver inteiros, Ele clama para que nós possamos sair de tantos sepulcros, de tantas mortes, de tantas enfermidades. Jesus vem trazer vida, Jesus vem trazer esperança, Jesus vem trazer alegria. É sobre o olhar d’Ele que a vida renasce em nós, por isso nós precisamos olhar para Ele, perceber que Ele passa, estar atentos a voz d’Ele que nos chama para a vida, para a ressureição, para a saúde. Saúde não só do corpo, mas saúde também da alma. Jesus passa hoje durante este dia junto de cada um de nós e Ele quer curar. Ele quer curar das mágoas, Ele quer curar do pessimismo, ele quer curar das maldades, dos julgamentos; Ele quer curar tantas coisas, Ele percebe tantas coisas que nos aprisionam e Ele se compadece de nós porque Ele sabe o quanto nós podemos ser melhores, o quanto nós podemos ser bons!

Ó Jesus, o Senhor que suplica para que envie operários para cuidarem da messe, te pedimos que o Senhor nos envie também a sermos estes operários, para cuidarmos, primeiro, de nós mesmos, nos deixando ser cuidados por vós, e que nós também possamos cuidar de todas as pessoas que estão a nossa volta. O senhor nos cura para que também possamos curar com a força do teu amor em nós. O Senhor nos quer bons para que possamos ser bons para com os outros. O Senhor cura a nossa enfermidade para que nós possamos também levar vida, para tantas pessoas que estão a nossa volta. Ah Jesus, envia-nos a sermos operários do teu reino. Que hoje, em cada situação nós possamos reconhecer como levar o teu amor, como se compadecer também dos outros, como levar bondade, como trazer alegria, como transformar os que estão a nossa volta.

Pedimos, Jesus, que o Senhor nos dê a sensibilidade de reconhecermos a tua presença junto de nós, presença que nos cura, e também podermos transbordar esta presença para todas as pessoas que estão a nossa volta. Possamos reconhecer que o senhor faz o bem e que quer continuar fazendo o bem através de nós. Dai-nos, Jesus, a coragem e a força de cumprirmos tudo aquilo que o senhor nos pede, para que possamos ser felizes e possamos fazer felizes todos aqueles que estão a nossa volta.

Amém.

1ª Leitura - Gn 32,23-33 (gr. 22-32)

De modo algum te chamarás Jacó, mas Israel;
porque lutaste com Deus e venceste.
Leitura do Livro do Gênesis 32,23-33 (gr. 22-32)

Naqueles dias:
23Jacó levantou-se ainda de noite,
tomou suas duas mulheres,
as duas escravas e os onze filhos,
e passou o vau do Jaboc.
24Depois de tê-los ajudado a passar a torrente,
e atravessar tudo o que lhe pertencia,
25Jacó ficou só.
E eis que um homem se pôs a lutar com ele
até o raiar da aurora.
26Vendo que não podia vencê-lo,
este tocou-lhe o nervo da coxa
e logo o tendão da coxa de Jacó se deslocou,
enquanto lutava com ele.
27O homem disse a Jacó:
'Larga-me, pois já surge a aurora'.
Mas Jacó respondeu:
'Não te largarei, se não me abençoares'.
28O homem perguntou-lhe:
'Qual é o teu nome?'
Respondeu: 'Jacó'.
29Ele lhe disse:
'De modo algum te chamarás Jacó, mas Israel;
porque lutaste com Deus e com os homens e venceste'.
30Perguntou-lhe Jacó:
'Dize-me, por favor, o teu nome'.
Ele respondeu: 'Por que perguntas o meu nome?'
E ali mesmo o abençoou.
31Jacó deu a esse lugar o nome de Fanuel,
dizendo: 'Vi Deus face a face
e foi poupada a minha vida'.
32Surgiu o sol quando ele atravessava Fanuel;
e ia mancando por causa da coxa.
33Por isso os filhos de Israel não comem até hoje
o nervo da articulação da coxa,
pois Jacó foi ferido nesse nervo.
Palavra do Senhor.

Salmo - Sl 16,1. 2-3. 6-7. 8b.15 (R. 15a)

R. Verei, justificado, vossa face, ó Senhor!

1Ó Senhor, ouvi a minha justa causa, *
escutai-me e atendei o meu clamor!
Inclinai o vosso ouvido à minha prece, *
pois não existe falsidade nos meus lábios!R. 

2De vossa face é que me venha o julgamento, *
pois vossos olhos sabem ver o que é justo.
3Provai meu coração durante a noite, +
visitai-o, examinai-o pelo fogo, *
mas em mim não achareis iniqüidade.R. 

6Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis, *
inclinai o vosso ouvido e escutai-me!
7Mostrai-me vosso amor maravilhoso, +
vós que salvais e libertais do inimigo *
quem procura a proteção junto de vós.R. 

8bProtegei-me qual dos olhos a pupila *
e guardai-me, à proteção de vossas asas,
15Mas eu verei, justificado, a vossa face *
e ao despertar me saciará vossa presença.R.

Evangelho - Mt 9,32-38

A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo são Mateus 9,32-38

Naquele tempo:
32Apresentaram a Jesus um homem mudo,
que estava possuído pelo demônio.
33Quando o demônio foi expulso, o mudo começou a falar.
As multidões ficaram admiradas e diziam:
'Nunca se viu coisa igual em Israel.'
34Os fariseus, porém, diziam:
'É pelo chefe dos demônios que ele expulsa os demônios.'
35Jesus percorria todas as cidades e povoados,
ensinando em suas sinagogas,
pregando o Evangelho do Reino,
e curando todo tipo de doença e enfermidade.
36Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas,
porque estavam cansadas e abatidas,
como ovelhas que nõo têm pastor.
Então disse a seus discípulos:
37'A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos.
38Pedi pois ao dono da messe
que envie trabalhadores para a sua colheita!'
Palavra da Salvação.

Export